quinta-feira, 12 de abril de 2012

O maior prédio do Brasil

Da roça para os arranha-céus
Francisco Graciola: com 59 anos, o fundador da FG já trabalhou no campo, foi barbeiro e comerciante; Jean graciola: o herdeiro de 32 anos abandonou a faculdade de administração e comanda a expansão da companhia.

O mais novo objetivo da FG, que deve faturar R$ 210 milhões neste ano e emprega dois mil funcionários, é construir o prédio mais alto do Brasil. Já aprovada pela prefeitura de Balneário Camboriú, conhecido pelo paredão de prédios que cria sombra sobre a sua principal praia durante as tardes, a torre Infinity Coast, de 66 andares, começa a ser construída em agosto. Com quase 240 metros de altura, terá uso misto entre residencial e comercial, com lojas e serviços no térreo. Cada apartamento de alto padrão custará R$ 1,6 milhão. Como os outros prédios da FG, o Infinity tem alguns toques de extravagância.Uma das marcas registradas é o logotipo em destaque no prédio, além de esculturas de dezenas de metros no topo dos edifícios, visíveis a quilômetros de distância. O Infinity terá um obelisco.

Além do Infinity, a FG planeja um outro edifício ainda maior, de 80 andares, cujo projeto está em elaboração. Para pesquisar soluções de arquitetura para esses empreendimentos, Jean e os arquitetos da construtora já foram ao Panamá, a diversas cidades chinesas e a Dubai, famosa pela edificação mais alta do planeta, o Burj Dubai, com 828 metros. Os prédios mais altos exigem técnicas de construção diferentes, com fundações mais profundas e uso de concreto mais resistente, em volumes bem maiores. Em meio à expectativa de uma maior exposição com os residenciais gigantescos, Jean está iniciando um plano de expansão na FG. A expectativa é elevar o faturamento em 35% anuais. Até agora, a gestão das obras no nicho de alto padrão tem sido conservadora: a empresa tem baixo endividamento e não vende praticamente nada de sua carteira de recebíveis, hoje em R$ 550 milhões.

O financiamento dos clientes por prazos de até 150 meses é feito com recursos próprios. A partir de agora, pretende começar a atuar no maior e mais disputado mercado de imóveis para a classe média. Criou uma nova marca, a Neo G, para construir apartamentos de até R$ 500 mil, e pretende usar um pouco mais de crédito bancário. “Hoje, 90% dos clientes são empresários e investidores, classe AA”, diz Jean Graciola. “Queremos que a classe média chegue a 40% da carteira.” A FG também está entrando no segmento de imóveis comerciais, buscando lucrar construindo imóveis de alto padrão para sediar as maiores empresas da região. Um segundo passo será a diversificação geográfica para outros polos de Santa Catarina, como Joinville, e Curitiba, a capital paranaense.

Fonte:http://www.istoedinheiro.com.br/noti...OS+ARRANHACEUS - ADAPTAD



O Infinity Coast terá 66 andares e um total de 240 metros de altura.Sem a antena estima-se que terá 228 metros o que torna um dos maiores prédios residenciais da América Latina e 58 metros mais alto do que o Mirante do Vale, atualmente, o maior edifício do Brasil com 170 metros de altura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário